Semad divulga pontos de apoio para realização de Consulta Pública de criação de novo parque estadual

Por medidas de prevenção para evitar a propagação do novo coronavírus, a consulta pública que irá discutir a criação do novo parque estadual na região conhecida por abrigar as Cataratas do Rio dos Couros, em Alto Paraíso, será virtual, via webinar. Ao todo, serão 11 os pontos de apoio

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente e de Desenvolvimento Sustentável, a sociedade civil e as organizações não-governamentais (ONG’s) divulgaram, na manhã desta segunda-feira (7/9), todos os pontos de apoio com internet que serão disponibilizados para que moradores da região de Alto Paraíso de Goiás, e arredores, participem da Consulta Pública que discutirá a criação de um novo parque estadual na região da Chapada dos Veadeiros.

Ao todo, por meio de uma parceria da secretaria, ONG’s e sociedade civil, foram disponibilizados 11 pontos de apoio:

- Polo UAB - Universidade Aberta do Brasil (Alto Paraíso de Goiás) - Aberto aos interessados - internet com wifi, telão, computador e técnicos da SEMAD e voluntários para orientar o acesso ao webinar e auxiliar a participação.
- Associação das Lindas Cataratas dos Couros (Assentamento Esusa, Casa da Elaine) - Aberto para os assentados do Esusa –  Computadores, acesso ao wifi, técnicos da SEMAD e voluntários para orientar o acesso ao webinar e auxiliar a participação.
- Associações dos Pequenos e Médios Produtores do Assentamento Silvio Rodrigues e Região – Aspemparr (Assentamento Silvio Rodrigues, Casa do Virgílio) - Aberto para os assentados do  Silvio Rodrigues –  Computadores, acesso ao wifi, técnicos da SEMAD e  voluntários para orientar o acesso ao webinar e auxiliar a participação.
- Assentamento Silvio Rodrigues (Assentamento Silvio Rodrigues, Casa do Raimundo) - Aberto para os assentados do  Silvio Rodrigues –  Computadores, acesso ao wifi, técnicos da SEMAD e  voluntários para orientar o acesso ao webinar e auxiliar a participação.
- Sítio Canto das Araras (Vale Dourado) - Wi-fi e espaço
- Sindicato Rural – Sede Alto Paraíso (Cidade de Alto Paraíso de Goiás) - Wi-fi e espaço
- Chácara SOS Cerrado (Vale Dourado) - Dois computadores disponíveis, acesso à internet e voluntários para orientar o acesso ao webinar e auxiliar a participação.
- Fazenda Veredas (Veredas) - Aberto para os produtores rurais e assentados do Silvio Rodrigues – Dois computadores, acesso ao webinar.
- Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge (São Jorge) - Wi-fi e espaço
- Taiua ambiental ( São Jorge) - Internet com wifi e apoio de uma pessoa para orientar a participação na consulta pública.
- Escola da Cidade da Fraternidade (Cidade da Fraternidade) - Wi-fi.
- Projeto Pato Mergulhão (Alto Paraíso de Goiás) - Dois computadores disponíveis, acesso à internet e voluntários para orientar o acesso ao webinar e auxiliar a participação.

Além disso, os participantes terão apoio de um profissional para orientar como proceder para participar das discussões. A Semad também, ao lado de ONG’s e sociedade civil, disponibilizará logística para a participação nos assentamentos, bem como veículos 4x4 para auxiliar na mobilização.

A Consulta Pública está confirmada e ocorrerá a partir das 14h desta terça-feira (8/9). Para o debate da pauta foram convidados órgãos ambientais, entidades públicas federais, estaduais e municipais, organizações não-governamentais, proprietários de terras, representantes dos setores empresariais, associações comunitárias e o público em geral. A iniciativa integra uma ação do Governo de Goiás que visa fortalecer a agenda de conservação do Cerrado.

A inscrição pode ser feita acessando este endereço: https://goias.zoom.us/webinar/register/WN_GKKiVacWSa-ZGIOrnP0hLQ

Próximos passos

A partir da consulta pública ocorrerá a assinatura de decreto estadual, criando a unidade de conservação, do qual constará a gestão compartilhada com a prefeitura de Alto Paraíso. Estado deverá, ainda, elaborar um Plano Estratégico de Integração com o entorno, em especial o assentamento Esusa, o assentamento Silvio Rodrigues e os produtores rurais, de forma a atuar nas cadeias produtivas, incluindo o turismo de base comunitária, entre outras ações para a melhor gestão deste território.

Também está prevista a criação de um Conselho Gestor Consultivo. Esse conselho deverá ser presidido pelo órgão responsável por sua administração e constituído por representantes de órgãos públicos, de organizações da sociedade civil e da população local. 

Ainda estão previstas ações de desenvolvimento econômico loca, o que inclui uma iniciativa fundamental: o Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) que irá beneficiar cerca de 50 famílias do assentamento Esusa. 

Estado e município deverão elaborar também o Plano de Manejo, utilizando a metodologia do ICMBio, que é participativa, rápida e efetiva. Metodologias aplicadas em unidades de conservação federais deverão ser utilizadas na elaboração do Plano de Uso Público, que também ocorrerá de forma participativa.

Por fim, será formatada uma estratégia para a integração do entorno, em especial o assentamento Esusa. O objetivo é criar protocolos de atuação eficazes junto às cadeias produtivas, incluindo o turismo de base comunitária, entre outras ações para a melhor gestão desse território.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.