Governo, por meio da Semad, encerra Consulta para criação do Parque Estadual Águas do Paraíso

Durante o evento, que foi realizado de forma virtual, secretária Andréa Vulcanis anunciou resultado da enquete que escolheu o nome da nova UC, que se chamará Parque Estadual Águas do Paraíso. Criação se dará na manhã desta sexta-feira (11/9), Dia do Cerrado, com presença do governador Ronaldo Caiado

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), encerrou, na noite desta quinta-feira (10/9) o complemento da Consulta Pública que discutiu a criação do novo parque estadual que será criado na manhã desta sexta-feira (11/9), data em que se comemora o Dia do Cerrado. Além de servidores do Governo de Goiás, participaram ainda servidores da Superintendência Regional do Incra no Distrito Federal e Entorno (Incra SR-28), e da Prefeitura de Alto Paraíso de Goiás, que, durante quase 3 horas, responderam a todos os questionamentos da comunidade.

Além de tirar todas as dúvidas, a secretária Andréa Vulcanis apresentou em primeira mão o nome vencedor da enquete promovida pela Semad para a escolha do nome do novo parque. Ao todo, 825 pessoas votaram na enquete. E o nome vencedor foi Parque Estadual Águas do Paraíso, que obteve 39% da preferência da população, contra 34,1% do Parque Estadual Adílio Augusto Valadão de Miranda, que ficou em segundo lugar. Parque Estadual Cataratas do Couros ficou em terceiro, com 23,2%.

“Este é um nome que propõe exaltar e dar centralidade em uma pauta estratégica não apenas para Goiás mas para o Brasil: as águas.  De igual maneira, ressignificar o imaginário de sacralidade vinculado ao território do município de Alto Paraíso de Goiás, conferindo um sentido de pureza e, ao mesmo tempo, fortalece a imagem do bioma Cerrado como berço das águas do Brasil”, ressaltou a secretária do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Andréa Vulcanis, comentando a escolha do nome.

A cerimonia de criação do novo parque já irá ocorrer na manhã desta sexta-feira, a partir das 10h, quando o governador Ronaldo Caiado irá assinar o decreto que institui a nova unidade de conservação, evento este que ocorrerá às margens das Cataratas do Rio dos Couros, em Alto Paraíso de Goiás, dentro da região da Chapada dos Veadeiros. A escolha da data é em homenagem ao Dia do Cerrado, que é comemorado no dia 11 de setembro.

Consulta Pública

A exemplo do que ocorreu na audiência da última terça-feira, esta também foi dividida em três partes: na primeira delas, a própria secretária Andrea Vulcanis; o secretário de Turismo de Alto Paraíso de Goiás, Moisés Neto; e o chefe-substituto da Divisão de Desenvolvimento e Consolidação da Superintendência Regional do Incra no Distrito Federal e Entorno (Incra SR-28), Marcio Hedilberto Cunha Borges, abriram as discussões explicando todas as ações já realizadas anteriormente no processo de criação do parque.

Logo após dúvidas que restaram da apresentação técnica da primeira parte da Consulta Pública foram sanadas. Uma delas foi em relação ao Plano de Uso Público, o qual a superintendente de Unidades de Conservação e Regularização Ambiental da Semad, Verônica Theulen, explicou que terá sua elaboração feita de forma participativa, com integração com os assentamentos e seus entornos.

Em relação à arrecadação com a bilheteria do novo parque, ela também reiterou que o dinheiro não irá para o Estado ou para o Município, mas sim destinados para a própria Unidade de Conservação, para fins de implantação, manutenção e gestão. Lembrou que haverá benefícios, como aumento de emprego e de renda.

Outra dúvida que havia surgido era sobre como funcionaria o Conselho Consultivo. Verônica lembrou que será constituído por representantes de órgãos públicos e de organizações da sociedade civil. “Além disso, os assentados do Esusa e do Silvio Rodrigues, terão, cada um, uma cadeira no conselho, onde participarão das decisões para a gestão da UC. Esta foi uma condição estabelecida pelo Incra para a doação da área ao Estado de Goiás”, ressaltou.

A Semad também lembrou que será definida uma integração do entorno do parque, em especial nos assentamentos Esusa e Silvio Rodrigues, bem como aos demais produtores rurais, com finalidade para atuar nas cadeias produtivas, incluindo turismo de base comunitária, entre outras ações, para melhor gestão do território.

Verônica, por sua vez, explicou que a gestão compartilhada do parque “promoverá a igualdade de atribuições, tanto para o Estado de Goiás, quanto para o Município de Alto Paraíso de Goiás, na administração do parque”. Ela acrescentou que haverá divisão no custeio nas despesas de implantação e manutenção do parque, somando esforços para a captação dos recursos e que, apenas se o Município não tenha recursos para tal, o Estado assume a gestão total.

A Semad também recebeu diversas cartas de apoio para a criação do parque. Uma delas foi do Rede Nacional Pro Unidades de Conservação, que criou o Movimento dos Amigos do Parque Estadual na Região das Cataratas do Rio dos Couros. Eles lembraram que o local é morada de diversas espécies em extinção, como o Pato Mergulhão, e incentivou a luta da Semad e da comunidade na abertura do novo parque.

“É com imensa satisfação que vemos o Governo de Goiás se preocupando com a proteção na região da Catarata dos Couros quando o Brasil vem se tornando internacionalmente por não estar protegendo seus biomas naturais. Nossa rede apoia a criação da Unidade de Conservação e irá apoiar todas as propostas que vierem daqui para frente”, disse o documento.

Participação da comunidade

Pastor Raimundo, representante do assentamento Silvio Rodrigues, que falou do ponto de apoio Vitória da Conquista, disse que somente tem a agradecer o Incra e a Semad, por terem sido ouvidos. Disse que posteriormente poderão discutir outros assuntos, como regularização fundiária, atendimento aos turistas, dentre outros.

Maude Nancy, da Rede Pro UCS, por sua vez declarou que é um momento de grande importância que Goiás está mostrando para o País. Exaltou toda a participação da comunidade nas discussões e recomendou que todos tenham um olhar muito forte em relação ao parque e ao Entorno, com cuidados com a mineração e com a utilização de agrotóxicos.

Mas a fala que mais emocionou foi a de Dona Elaine, representante do Assentamento Esusa. “Nós somos os guardiões dessa área. Nós somos lutadores ao lado de outros guardiões. E a Semad chega agora para ser mais um desses guardiões. E neste momento, quando vemos governo sério e servidores sérios também, eu acredito que ainda haja governo sério, sim, e a criação desse parque comprova isso”, desabafou. Emocionada, Andréa Vulcanis agradeceu muito as palavras e disse que a Semad é uma amiga da comunidade da área do parque.

“Respondemos todos os questionamentos, mesmo com todos os problemas técnicos, pois fazemos isso com o coração e com amor. A defesa do meio ambiente precisa estar integrada. Acredito que as pessoas de todas as comunidades devem estar unidas nesse propósito. Agradeço inclusive todas as críticas, que acrescentaram e nos orientaram na busca pela melhora. Nossa proposta está consolidada, firme e robusta e este parque, enfim, será criado”, finalizou.