Águas do Paraíso: Novo parque estadual é criado pelo governador Ronaldo Caiado

Historicamente o local ficou conhecido por essa alcunha devido à caça de veados na região e, com isso, os caçadores levavam os couros dos animais mortos para serem lavados nas cachoeiras. Escolha do nome foi feita pelos internautas, que votaram na enquete realizada pela Semad. No total, foram mais de 800 participantes

“O nome traz um novo significado para essa localidade”, a fala é da secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Andréa Vulcanis, ao acompanhar o governador Ronaldo Caiado em solenidade de criação do ‘Parque Estadual Águas do Paraíso’, no município de Alto Paraíso de Goiás. A solenidade ocorreu nesta sexta-feira (11/09), data em que se comemora o Dia do Cerrado.

A unidade de conservação, que será gerida de forma compartilhada pelo Governo de Goiás e pela Prefeitura de Alto Paraíso, abrangerá uma área de aproximadamente 5 mil hectares, na região turística das Cataratas do Rio dos Couros. Segundo a secretária, historicamente o local ficou conhecido por essa alcunha devido à caça de veados na região e, com isso, os caçadores levavam os couros dos animais mortos para serem lavados nas cachoeiras.  

“Naquele momento histórico era assim que nós, seres humanos, nos relacionávamos com o Meio Ambiente. Porém agora, em 2020, o homem se relaciona com a natureza protegendo a sua fauna e flora, preservando a sua biodiversidade. Cuidando dos animais, das plantas. O local vai continuar tendo a Catarata do Rio dos Couros como seu grande atrativo turístico, mas os turistas poderão banhar nas águas do paraíso”, explicou a secretária, ao comemorar a escolha do nome pelos internautas que votaram na enquete feita pela Semad. No total, foram mais de 800 participantes.

A secretária Andréa Vulcanis definiu a criação do parque como um momento histórico, que põe fim à espera de 20 anos. “O governador cria uma amostra significativa de conservação desse bioma tão importante”, revelou e citou que o Cerrado ocupa cerca de um quarto do território nacional. “Tudo que olhamos nesse horizonte, a natureza levou bilhões de anos para construir e agora terá proteção integral.”

A criação do parque também se ancora na urgência de livrar o espaço de pressões de invasores e criminosos ambientais, que ameaçam o local com a introdução de espécies exóticas, queimadas, desmatamento ilegal e atividades de mineração sem licenciamento. Cenário este que, a partir de agora, será substituído por respeito à natureza e fortalecimento do turismo. “Vamos transformar o parque em um dos pontos mais visitados no mundo inteiro”, projetou o governador Ronaldo Caiado.

Turismo rural

Unir cuidado com o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável é um dos objetivos do Governo de Goiás. “Não se faz turismo sem cuidar das pessoas, da comunidade local. Esse talvez seja o maior princípio de uma política pública do setor”, apontou o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, que destacou o objetivo de despertar nos moradores da região da Chapada dos Veadeiros novas vocações, a exemplo do Turismo Rural.

A primeira-dama Gracinha Caiado destacou que conheceu a comunidade local em 2019, quando foi à região da Chapada dos Veadeiros para dar início ao levantamento do Índice Multidimensional de Carência das Famílias (IMCF). A partir daí foram designadas as políticas sociais para a população, principalmente dos assentamentos. “Temos ajudado, fazemos o que podemos, doamos cestas básicas, mas sabemos que isso não é tudo. Queremos fazer muito mais, e vamos fazer, trazer renda e fazer com que possam ter um meio de vida melhor”, disse.

Diferente de outras datas, 11 de setembro de 2020 é uma data histórica para Elaine Soares Franco, presidente do Assentamento Esusa. “Estamos de alma lavada, missão cumprida. A partir de agora, essa natureza há de ser preservada e respeitada como merece”, afirmou. Moradora da região há anos, Elaine manifestou toda a sua gratidão ao governador Ronaldo Caiado pela criação do Parque Estadual Águas do Paraíso. “Nosso muito obrigado por olhar por essa comunidade tão pequena. Eu me disponibilizo para o que for necessário para que este projeto cresça e gere frutos”, concluiu.

Gestão compartilhada

Em relação à gestão compartilhada do Parque, o vice-prefeito de Alto Paraíso, Marlon Rogério Bandeira, que na solenidade representou o prefeito Martinho Mendes, garantiu que Estado e município estarão de mãos dadas. “A prefeitura é parceira do Estado, estamos juntos por um objetivo maior, pela preservação e fortalecimento da nossa comunidade.”

Nas últimas duas décadas, governos estaduais e municipais tentaram implantar a reserva, porém sem sucesso. Neste ano, a Semad estruturou a proposta de criação do parque, amparada em uma lei federal de 2011, que fixou normas para a cooperação entre União, Estados, Distrito Federal e municípios nas ações administrativas de proteção ao meio ambiente.

A titular da Semad, Andrea Vulcanis, reforça que, com a criação do parque, será possível estabelecer os limites definitivos para a área protegida, promover a recuperação das degradadas e controlar o uso público da região. Serão realizadas, ainda, atividades de ecoturismo, pesquisas científicas, além da sensibilização, conscientização e educação ambiental.

Área

Situado no Nordeste Goiano, uma das localidades que tem atraído o olhar constante da atual gestão, que mira no fim das desigualdades regionais, o Parque Estadual Águas do Paraíso tem uma área de pouco mais de 5 mil hectares. O principal ponto da unidade de conservação responde pelo nome de Catarata do Rio dos Couros, um espaço que propiciará aos turistas momentos de trilhas, contemplação da natureza e banhos refrescantes. Outros córregos que cruzam a região são o Jacobeira, Tapagem e o Ribeirão São João.

O cenário das cataratas contará com o devido planejamento, projeto interpretativo, gestão de segurança, manejo de trilhas, serviço de apoio à visitação, entre outras estruturas necessárias. A nova unidade integrará as demais áreas de proteção ambiental, como a de Pouso Alto, e reservas de patrimônio natural. Vale lembrar que a região já possui o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, tombado como Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (Unesco).

O atrativo estadual está a 423 quilômetros de Goiânia, 221 quilômetros da capital federal, Brasília, e próximo ao Pico do Pouso Alto, que tem 1.676 metros de altura. Na fauna há dez espécies de mamíferos, sendo que quatro estão na lista vermelha de animais ameaçados, e 58 de aves, incluindo o pato-mergulhão, que corre o risco de extinção em toda a região neotropical.