"Em Goiás, meio ambiente e desenvolvimento sustentável andam juntos", afirma Andréa Vulcanis durante inauguração de PCH em Cristalina

Representando o governador Ronaldo Caiado, a titular da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) ressaltou os esforços da pasta para dar celeridade às demandas. E entregou ao presidente da Tradener, Walfrido Avila, licenças para instalação de três novas PCHs: Gameleira, Salgado e São Bartolomeu

 

"Em Goiás, meio ambiente e desenvolvimento sustentável andam juntos, em favor das pessoas." Palavras da secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Andréa Vulcanis, que foi muito aplaudida durante solenidade de inauguração da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Tamboril, no município de Cristalina. "Trago uma reflexão sobre os aspectos ambientais que sobressaem na agenda de desenvolvimento deste estado e, por que não dizer, do Brasil", afirmou. 

Segundo conta a secretária, que na ocasião representou o governador Ronaldo Caiado, "o momento é de superação, de retomarmos o crescimento e de eliminarmos trincheiras. De encontrarmos convergência na adversidade", ressaltou ao pontuar que as questões ambientais foram, "sem dúvida nenhuma, uma das mais complexas na dinâmica de aprovação e existência da PCH Tamboril".

Com capacidade de geração de 15,8 MW – gerando energia através de duas turbinas de 7,9 MW cada –, o empreendimento foi construído no Rio São Bartolomeu, na zona rural do município. O despacho com a autorização para operação em fase de teste foi assinado pelo superintendente de Fiscalização dos Serviços de Geração da Aneel, Gentil Nogueira de Sá Junior, em 28 de agosto de 2020.

Ao presidente do Grupo Tradener, Walfrido Avila, que controla a empresa São Bartolomeu Geradora de Energia Renovável, responsável pelo empreendimento, Andréa Vulcanis frisou que as questões ambientais têm sido uma das mais palpitantes da agenda nacional e se traduz internamente no País por meio da seguinte frase: “O meio ambiente atrapalha o desenvolvimento do Brasil. O que não é verdade”, disse. 

A exemplo do que disse a secretária, o presidente da Tradener, Walfrido Avila, falou da iniciativa. “O Brasil não pode abdicar do compromisso que assumiu com as energias renováveis e, nesse contexto, as PCHs estão em condições de oferecer contribuições muito positivas para que tenhamos uma matriz energética limpa. Trata-se de um potencial que o País não pode relegar a segundo plano”, afirma Avila.

Agilidade

Walfrido Avila disse ainda que, a partir de um diálogo com o governador Ronaldo Caiado, que queria conhecer os empresários que estavam investindo no Estado, percebeu os avanços dos processos de concessão de licenciamento ambiental na Semad. E reconheceu a agilidade com que a pasta tem tratado da agenda de desenvolvimento sustentável, sem deixar de cuidar do meio ambiente.

Ainda durante a inauguração da PCH, a secretária ressaltou os avanços empreendidos pela pasta, a exemplo das etapas do licenciamento ambiental. "Há menos de dois anos, quando chegamos ao Governo de Goiás, a realidade que encontramos foi de uma imensa e interminável fila de espera, tanto para licenciamentos ambientais quanto para as outorgas de uso de recursos hídricos", lembrou. 

De acordo com Andréa, empreendimentos, dos mais simples aos mais complexos, somente conseguiam obter suas licenças e outorgas após no mínimo seis anos. "Alguns empreendimentos hidrelétricos, como é o caso da PCH Tamboril, levavam entre sete e 12 longos anos para que chegássemos a última licença", disse.

E citou a nova legislação ambiental e a criação do Sistema Ipê, plataforma responsável pelo processo de licenciamento ambiental em Goiás. "Temos implementado uma agenda pesada de reformas e modernizações na área ambiental. Tudo precisava de uma nova construção quando o assunto é gestão pública ambiental nesse estado", finalizou.

Outras concessões

Sobre os esforços da Semad para dar celeridade às demandas, Andréa Vulcanis aproveitou a solenidade para entregar ao o presidente da Tradener licenças para instalação de três novas PCHs. São elas de Gameleira, Salgado e São Bartolomeu. Essa última passou por fases de judicialização e aguardava há 10 anos pela decisão. 

O secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Paulo César Magalhães, que na ocasião representou o ministro Bento Albuquerque, agradeceu os esforços empreendidos pelo Estado no sentido de agilizar os processos relacionados à preservação do meio ambiente e desenvolvimento sustentável. “Obrigado pela parceria”, afirmou. Além dele, estiveram presente o secretário de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Obras de Cristalina, Fábio Borges Barreto, que representou o prefeito, Daniel Sabino Vaz, e a secretária municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Luziânia, Lisane Luzia Ramos Neto.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.