“Colabora na construção de um mundo melhor”, diz Vulcanis em lançamento de fase executiva do Juntos pelo Araguaia

Em discurso, governador Ronaldo Caiado agradeceu à titular da Semad pelos avanços obtidos por meio do projeto de revitalização da Bacia do Alto Araguaia, apresentado por ela em 2019. Proposta geral da iniciativa conjunta engloba a recuperação de 10 mil hectares de vegetação – 5 mil pelo lado goiano do rio, com o envolvimento de 16 municípios –, e 5 mil pelo mato-grossense, com a participação de 12 municípios

Governos de Goiás, Mato Grosso e o Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), deram início nesta sexta-feira (18/12) à etapa executiva do Projeto Juntos pelo Araguaia. Durante a solenidade, ocorrida no município de Piranhas, no Oeste goiano, a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás, Andréa Vulcanis, afirmou que a iniciativa “coloca todos do mesmo lado, com os mesmos objetivos, que é a construção de um mundo melhor.”

Além de darem início à essa nova fase do Juntos pelo Araguaia, com investimentos da ordem de R$ 7 milhões, os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado, de Mato Grosso, Mauro Mendes, acompanharam o ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogério Marinho, durante o lançamento do Programa Águas Brasileiras. A iniciativa busca garantir a revitalização das principais bacias hidrográficas do País, entre elas a do Rio Araguaia.

Ainda sobre o Juntos pelo Araguaia, a titular da Semad ressaltou que “essa é uma proposta única no Brasil em que dois Estados deram as mãos para organizar esse projeto. Meio ambiente é produzir, e também cuidar, respeitando tudo e todos”, defendeu Andréa Vulcanis. “No nosso Estado, já sabemos que meio ambiente e produção rural fazem parte de um único pacote”, complementou.

Anfitrião na solenidade e idealizador do Juntos pelo Araguaia, ainda em 2018, Caiado lembrou a todos que a etapa atual da proposta engloba a recuperação de 10 mil hectares de vegetação – 5 mil pelo lado goiano do rio, com o envolvimento de 16 municípios, e 5 mil pelo mato-grossense, com a participação de 12 municípios.

A execução será feita pelo Instituto Espinhaço, em parceria com os governos de Goiás e de Mato Grosso. “Esse é o maior projeto de recuperação ambiental do mundo”, disse Caiado em entrevista coletiva. “Temos de reconhecer a importância do projeto elaborado pelo instituto”, agradeceu.

Caiado ainda frisou que a implantação do projeto acaba com a distorção maniqueísta entre enfrentamentos dos setores rural e urbano, ou entre industriais e trabalhadores. Disse que as parcerias foram fundamentais para o desenvolvimento da ação, já que, a partir do lançamento, realizado em julho do ano passado, o Governo Federal assumiu o ônus de bancar R$ 3 milhões para subsidiar os estudos que culminaram com a primeira atividade prática na fazenda Buriti Alto, do produtor rural Omar Paula.

Unidade de estudo

Durante a solenidade, os governadores e o ministro anunciaram a criação do Centro de Desenvolvimento Florestal e Estudos do Cerrado, em Piranhas, município estratégico em termos de localização na área de abrangência do projeto, e intervenções em propriedades rurais na totalidade inicial prevista de 100 hectares.

Para a implementação do projeto, que prevê ações de planejamento das propriedades rurais em áreas prioritárias para recuperação, definidas em estudo realizado pela Universidade de Viçosa, em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), serão realizadas técnicas de conservação de solo, como terraceamentos e barraginhas, bem como o plantio de espécies nativas do Cerrado, mudas que serão produzidas no Centro de Desenvolvimento Florestal e Estudos do Cerrado.

Esforço coletivo

Para o ministro Rogério Marinho (MDR), as duas iniciativas – a específica do Araguaia e a que inclui as bacias hidrográficas de todo o País – atendem a um anseio da população: unir sustentabilidade e respeito ao meio ambiente, com inclusão de pessoas no processo produtivo. “Não podemos preservar sem nos lembrar que a centralidade são os seres humanos, os brasileiros e brasileiras que habitam toda a extensão do nosso território e que precisam ser vistos com inclusão no desenvolvimento sustentável”, reforçou Marinho.

Presente na solenidade, o ministro Wagner de Campos Rosário, da Controladoria Geral da União (CGU), se juntou ao esforço coletivo do qual já fazem parte, na esfera federal, além do MDR, os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Meio Ambiente (MMA), e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). A intenção, disse Marinho, é garantir os recursos necessários para que as “melhores intenções se convertam em concretude, em gestos objetivos e em edificações de obras”.

Parceiro da ação, o presidente do Instituto Espinhaço, Luiz Oliveira, opinou que o objetivo deve ser um só: mudar a vida das pessoas que vivem ao redor da bacia hidrográfica. “Engana-se quem pensa que o Juntos pelo Araguaia é um projeto de recuperar, plantar árvores ou apenas salvar bichinhos. É um programa para ressignificar a vida do produtor rural no Estado e garantir desenvolvimento.”

Parceria interestadual

“Vamos trabalhar muito para não só recuperar o Araguaia no aspecto ambiental, mas para potencializar o turismo, o aproveitamento racional e sustentável de toda a região do Araguaia”, afirmou o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes. Ele, anapolino como Caiado, disse que “vejo nas suas palavras muito mais do que retórica, mas a força de um homem, de um grande governador, que luta muito para fazer o que é certo”, disse.

Os investimentos para a etapa demonstrativa do Juntos pelo Araguaia são da ordem de R$ 7 milhões e preveem a plantação de 150 mil mudas. Os recursos foram doados pela Anglo American. Presidente da empresa no Brasil, Wilfred Bruijn disse que já acertou com o governador Ronaldo Caiado de voltar à região para acompanhar a concretização do projeto, que “vai trazer pujança econômica para a divisa entre os estados do Mato Grosso e de Goiás”.

O prefeito de Piranhas, Eric de Melo Silveira, se disse privilegiado pelo município fazer parte da iniciativa e por receber, pela primeira vez, dois governadores e um ministro no local, que tem pouco mais de 11 mil habitantes. “Além de revitalizar a bacia do Rio Araguaia, o projeto vai apresentar nossa região para o mundo, para aqueles vocacionados a investir, a empreender aqui”, projetou. Para ele, os recursos injetados servirão não somente para trazer à realidade estruturas físicas, mas para promover “mudanças de cultura, no proceder, trabalhar e preservar”.

Selo Juntos pelo Araguaia

Com o objetivo de reconhecer os parceiros do maior programa de revitalização de bacias hidrográficas do Brasil, que tem como marca a inovação em restauração florestal, conservação de solo e engajamento social integrado para a revitalização da Bacia Hidrográfica do Alto Rio Araguaia, o governador Ronaldo Caiado assinou o decreto de criação dos selos do ‘Juntos pelo Araguaia’. São cinco modalidades.

I – Selo de Patrocinador: concedido a instituições ou pessoas físicas que efetivarem patrocínio financeiro à execução do projeto, seja por meio de doação ou financiamento, sem vínculo com o cumprimento de obrigações legais;

II – Selo de Partícipe: destinado a instituições ou pessoas físicas que financiarem o projeto em razão do cumprimento de obrigações de quaisquer naturezas junto a órgãos ambientais ou outras instituições de natureza pública;

III – Selo de Instituição Executora: cedido a instituições que executarem a contento os projetos de recuperação de áreas degradadas e de recomposição de vegetação nativa no âmbito das propriedades rurais, conforme a metodologia do projeto executivo do Programa Juntos pelo Araguaia;

IV – Selo Amigo do Araguaia: entregue aos detentores de imóveis rurais que acolherem o projeto e demonstrarem promover os cuidados e ações necessários à manutenção e monitoramento das atividades de recuperação ambiental realizadas;

V – Selo Notável Benfeitor do Araguaia: concedido a pessoas físicas ou jurídicas que prestarem colaboração, apoio efetivo ou participação, considerados essenciais para o sucesso do projeto, em qualquer de suas etapas, desde a sua concepção.

O Selo Juntos pelo Araguaia será concedido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) mediante validação de comitê interinstitucional, composto também por representantes da União e do governo do Estado do Mato Grosso, visando conferir unicidade, integridade e uniformidade nas ações do projeto.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.