Após denúncia, Semad trabalha para resgatar centenas de animais em situação de abandono e maus tratos em Guarani de Goiás

Diante da situação encontrada pelas equipes de fiscalização, para que sejam efetivadas as medidas administrativas, a propriedade foi multada e embargada, ou seja, os donos seguem proibidos de exercerem qualquer atividade no local. E mais: os animais, assim que restabelecidos, serão doados

 

O Governo de Goiás desencadeou na última sexta-feira (30/09) uma série de ações para pôr fim aos maus tratos contra cerca de 900 cabeças de gado encontradas em situação de abandono em uma propriedade rural localizada no município de Guarani de Goiás, no Nordeste goiano. Após denúncias, equipes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), em trabalho conjunto com o Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO), Polícia Civil e Secretaria Municipal de Meio Ambiente iniciaram as medidas de salvamento dos animais. 

Conforme esclarece a titular da Semad, secretária Andréa Vulcanis, no mesmo dia em que as denúncias foram recebidas, as equipes de fiscalização foram encaminhadas ao local. “As primeiras ações, aquelas mais urgentes, foram no sentido de garantir oferta de água, alimentação e atendimento veterinário aos animais sobreviventes”, relata ao lamentar que mais de 150 animais morreram em decorrência de inanição, quando chegam ao estado fatal de enfraquecimento. 

O trabalho de resgate e assistência, além de toda a estrutura do Governo de Goiás, contou com ação voluntária de vizinhos da fazenda. “E a determinação do governador Ronaldo Caiado e a nossa, aqui da Semad, é que as equipes só retornem do local quando já não houver risco de morte de nenhum daqueles animais”, confidencia Andréa Vulcanis.

Por se tratar de uma propriedade de grande porte, o Corpo de Bombeiros está fazendo uma varredura com auxílio de drones para se certificar de que todo o perímetro seja monitorado e que todas as vidas animais sejam salvas. E para evitar que animais já em decomposição causem contaminação entre o rebanho sobrevivente, em regime de urgência, maquinários estão construindo valas para o enterro das carcaças.

Medidas

“As imagens que nos foram encaminhadas são aterrorizantes e a situação, quando da chegada das equipes, era caótica”, lamenta a secretária. Diante das evidências de cometimento de crime de maus tratos todas as medidas administrativas estão sendo tomadas para que os culpados sejam responsabilizados. “Durante todo esse tempo à frente da Semad nunca tinha me deparado com uma situação semelhante e de tamanha barbaridade”, confidencia Andréa Vulcanis.

A Polícia Civil já abriu inquérito para investigar os motivos que levaram os proprietários da Fazenda Botuguara a deixarem os animais em situação de maus tratos e abandono. O gerente da propriedade rural chegou a ser preso, foi ouvido na Delegacia de Polícia de Posse, município vizinho, e liberado após pagamento de fiança.

Ainda de acordo com informações da secretária Andréa Vulcanis, para que sejam efetivadas as medidas administrativas a propriedade foi multada e embargada, ou seja, os donos seguem proibidos de exercerem qualquer atividade no local. E mais: os animais, assim que restabelecidos, serão doados.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.